Resenha: Sábado à Noite





Beijinhos e até a próxima!!                                       - Fê.

Escritora americana manda presente para mim + livros que eu não me arrependi

Oi Gente!!!!
Confiram o novo vídeo do canal onde eu mostrei um presente que a escritora americana Jennifer Niven (autora de "Por lugares incríveis" e "Juntando os pedaços") mandou para mim <3 <3 <3

Eu falei também sobre a falta de representação da diversidade brasileira nos livros nacionais e aproveitei também para mostrar os livros que eu não me arrependi de ter comprado!!!! Espero que vocês gostem! Beijinhos :)
-Tink



Fazendo Meu filme em quadrinhos 3


 

Um feriado prolongado promete agitar a turma da Fani, com viagens e festas. Mas tudo muda quando ela recebe uma incumbência: tomar conta dos sobrinhos pequenos.
Sem poder curtir os dias de folga como gostaria, só resta a ela sonhar que um dia sua vida tenha cenas tão emocionantes quanto a dos seus filmes preferidos.


Introdução


Oi Gente!!! Sejam todos bem vindos para meu primeiro post do ano! Essa publicação deveria ter acontecido no ano passado, mas tive que me ausentar do blog porque estava totalmente sem tempo. Hoje vou falar sobre a terceira HQ de fmf, contar como foi pegar o autografo com a Paula e vou falar o que achei desses novos capítulos extras. Cara, faz tanto tempo que eu não posto aqui no blog, que até me esqueci de como se faz uma resenha :P hahaha 
Ainda bem que o livro que eu vou falar hoje eu indico de olhos fechados para todos os adolescentes que estão de férias!!!! 

Autógrafo 

Fazendo meu filme é uma série de livros que com certeza faz parte da minha lista de livros queridos da vida. A Paula Pimenta realmente faz um verdadeiro bom trabalho na hora de construir suas histórias. Por isso, mesmo com o fim dessa série, eu continuo acompanhando alguns capítulos inéditos que a escritora está escrevendo para essas novas HQs, que são TUDO DE BOM, ainda mais pra quem já era fã de fazendo meu filme e fã de HQs em geral como eu!!!

Por esses e outros motivos fiz questão de na ultima Bienal de SP incluir o estande da editora Gutenberg para garantir meu fazendo meu filme em quadrinhos 3 e dar um abraço bem apertado na minha musa inspiradora da escrita, a autora Paula Pimenta. Vou contar um pouco desse dia. 




Que eu sou mega fã dessa mulher, todos que acompanham o blog já sabem. São anos enlouquecendo a cada novo livro, seguindo ela em todos os lançamentos em São Paulo, publicando milhares de declarações nas redes sociais e morrendo de fofura e amor a cada novo encontro. Dessa vez não foi diferente. Mesmo sabendo que a Paula sabe quem eu sou já faz uns anos, eu sempre me surpreendo sempre que ela fala meu nome e até me me trata pelo meu apelido. Durante todos esses anos que eu a vi, sempre fico mais solta a cada novo encontro. O primeiro eu só conseguia sorrir que nem boba (sério, meu rosto congelou em um sorrisão, não consegui falar nada e só descongelei no dia seguinte). Desde então eu vou me soltando mais para conversar e até brincar com ela. Algo que eu posso dizer que foi diferente nesse lançamento é que eu não fiquei tão tímida para fazer comentários brincalhões. Ela também parece realmente que já se acostumou comigo  e isso torna o encontro muito mais intimo, mais divertido e muito, muito mais amoroso. 
Dei para ela uma camiseta do amor da minha vida (tenho que aproveitar que a Pri não está por perto e que ele está solteiro! :p ). Ele é o personagem Rodrigo, meu queridinho lindo de Minha vida fora de Série. A Paula pareceu gostar do presente.  Tirou na mesma hora uma foto para o Snap e no dia seguinte ainda comentou de novo em seu Snap sobre a camiseta e sobre ser Team Rodrigo <3


Resenha

A história dessa HQ é muito gostosa de se ler. É como se você tivesse acompanhando alguma série Teen, só que brasileira. Isso porque os quadrinhos te proporcionam muito mais proximidade com as cenas vividas por cada personagem. E é justamente esse ponto que eu quero ressaltar. Fazendo meu filme é uma tipica história de uma garota adolescente, que poderia ser americana, mas que é brasileira e mora em Minas Gerais. Conforme a narração vai passando, sinto como se eu estivesse em uma roda de garotas batendo um tipico papo de menina. Mas vale fazer uma observação aqui. Na verdade, eu sinto como se eu tivesse em uma roda de amigos, já que os personagens masculinos da Paula são muito reais e bem representados. Eu consigo visualizar perfeitamente os  garotos de fmf com os garotos que eu estudei na minha escola (tirando a fofura, isso eu não achei até hoje hahaha). Sinceramente todos os Boys da Paula são garotos que toda sala de aula tem, seja o garoto baladeiro, atrapalhado, bagunceiro, o garoto zueira, brincalhão (Leo, seu lindo), o garoto musico, tímido... Resumindo, vocês meninos estão Super bem representados nos livros da Paula Pimenta. É sério, vou ter que confessar aqui que eu até prefiro muito mais os meninos dela do que as meninas. Eles são tão divertidos e dinâmicos que eu acho que me identifico mais (Leo, estou falando de você, baby). 

Eu, como uma boa Team Leo, senti falta dele na capa dessa HQ, pois ele não foi um personagem tão presente como nas outras duas. No entanto, para a minha surpresa, os acontecimentos são tão naturais, que a ausência dele não foi algo negativo como eu achava. Na verdade foi só um leve detalhe que não atrapalhou em nada a história. A proposta desse capitulo da vida da Fani era justamente mostrar os planos de uma garota para curtir o feriado, porém que foram "frustrados" com a noticia de que ela teria que cuidar dos sobrinhos pequenos. E é nessa hora que o leitor para e fala: "Cara, ainda não superei o dia que eu tinha tudo no esquema para curtir pra valer o feriadão do meu jeito, mas os planos da minha família (ou circunstancias da vida) mudaram TUDO o que eu tinha planejado...". Se você puxar as lembranças da  memoria, aposto que já viveu algo parecido :/

O final dessa HQ vai agradar principalmente quem já leu o livro fazendo meu filme 1. Concluindo, eu realmente estou AMANDO esses capítulos inéditos em forma de HQ. Inclusive, vou confessar outra coisa aqui. Estou BEM mais ansiosa para o próximo fazendo meu filme em quadrinhos do que para a quarta temporada de minha vida fora de série. Mesmo sendo histórias curtas, os quadrinhos estão conquistando mais meu coração a cada nova edição!

E é isso, pessoal!!! Espero que tenham gostado do post de hoje e prometo atualizar as resenhas que eu prometi, mas que estão mega atrasadas.
Beijinhos
-Tink

Resenha: Como se fosse magia

Resultado de imagem para como se fosse magia livro bianca briones"Eva nasceu com o dom de passar todos os seus sentimentos para o papel, e com isso conquistou milhares de leitores pelo mundo. Agora ela precisa escrever o último livro da sua série de fantasia, mas está com bloqueio criativo há um ano e não sabe o que fazer.
Enquanto ela tenta se reconectar a seus personagens, a vida coloca em seu caminho um homem idêntico a um dos seus protagonistas. O problema é que o desconhecido surge sem nenhuma lembrança de quem ele é.
Enzo está muito confuso. A princípio, ele duvida da conversa maluca de Eva. Mas mesmo com sua dificuldade em acreditar, ele não pode negar que se sente extremamente ligado a ela. Envolvidos por esse curioso e estranho mistério, Eva e Enzo estão prestes a descobrir que, às vezes, para que duas pessoas se encontrem, mundos inteiros são capazes de colidir."

Oi gente, tudo bem? Aqui estou eu voltando aos poucos com mais uma resenha para vocês.
Aproveitei que as provas "acabaram" e tirei um tempo para me dedicar a um livro e a mim mesma. Como se fosse magia caiu como uma luva nesse momento da minha vida, onde estava cansada, estressada, querendo deitar, dormir e acordar de férias. Minha vida estava precisando de magia, e isso o livro tem de sobra!
Tenho que começar dizendo que essa história é extremamente encantadora e definitivamente o meu sonho de consumo 😁😁😁😁😁😁. Gente, fala sério! Quem nunca quis que um personagem virasse real e aparecesse na sua vida? Eu estaria completamente realizada se isso acontecesse!
Mas nem tudo são flores na vida da doce Eva, e do grande e único melhor amigo dela, Thiago (SER DIVINO, MARAVILHOSO, MELHOR AMIGO QUE UMA PESSOA PODE TER, AMO, QUERO, ME ABRAÇA SEU LINDO <3). O fato é que os dois sofrem muito preconceito, tanto da sociedade quanto da própria família.
Ela, porque não simplesmente imagina seus personagens e suas histórias, ela os vê. Os personagens simplesmente aparecem para ela querendo contar suas histórias, e todos acham que ela é uma louca esquizofrênica por ver e falar com coisas que ninguém vê. É por isso que durante um bom tempo ela se fechou para o mundo da imaginação, e tentou focar no mundo real, o que só a fez se sentir pior.
Ele, por ser gay. Apesar de ele já se aceitar e viver bem com isso(tão bem quanto pode se viver sendo gay em uma sociedade preconceituosa), ele ainda sofre bastante por não ter a aceitação do pai.
Foram partes bem tristes de se ler, porque a Eva não é nem um pouco louca, e o Thiago não é nenhuma aberração da natureza por gostar de alguém do mesmo sexo.
Os dois são praticamente o amor da vida um do outro, e isso foi uma das coisas mais lindas do livro. Mostrou o amor puro e sincero de uma amizade, que vai além de qualquer coisa, que o amor da sua vida não precisa ser necessariamente o seu(a) namorado(a), ou seu(a) marido/esposa, mas sim aquela pessoa que te entende como ninguém, que está sempre lá por você, que faria de tudo só para te ver feliz, que a presença é tão especial que te faz bem mesmo que os dois estejam em silêncio olhando o vazio. O amor da sua vida é aquela pessoa que te completa, e ela pode ser seu namorado, seu marido, seu amigo, seu irmão, sua mãe...
Agora preciso falar de Eva e Enzo(preciso de um na minha vida, se alguém encontrar por aí, por favor me comunique kkkkk). Gente, fiquei tão agoniada quanto os dois nessa história. 
Imagina você se deparar com um cara exatamente igual ao seu protagonista (ou ao personagem do livro que você está lendo, caso você não escreva). Agora imagina você perder completamente a memória, não conseguindo lembrar nem do seu nome e uma pessoa te diz que você pode ser o personagem do livro dela.
Imagine ainda, você saber fazer as mesmas coisas que o tal personagem faz. Até eu comecei a acreditar algumas vezes na possibilidade de ele ser realmente o Enzo do livro.
Foi então que assim como a Eva, eu fiquei com medo de que se ela terminasse a história do livro, o Enzo desapareceria.
O envolvimento dos dois é tão lindo!!!! Eu amei esse livro de paixão <3
Quando tudo finalmente se desenrolou, tenho que confessar que chorei. Sim, sou uma manteiga derretida, choro por tudo. Mas é que foi tudo tão lindo, e especial, e MÁGICO. Queria contar mais sobre isso, mas tenho medo de estragar a surpresa.
Esse foi o primeiro livro que li da autora, mas já quero todos! A escrita dela é muito envolvente, leve e divertida. Eu pude me conectar com a Eva, até me vi um pouco nela.
Eva, Thiago e Enzo são encantadores e muito cativantes, não tem como não amar esse trio, Aliás, não tem como não amar esse livro <3
Ele trouxe a magia que eu estava precisando de volta na minha vida, me fez fantasiar novamente sobre histórias que quero criar. Ver o empenho e a entrega da Eva cada vez que ela parava para escrever só me deu mais vontade de voltar para minha história e meus personagens (acho que não contei para você que estou escrevendo, mas vamos deixar isso para outro momento).
Ah, uma coisa que não contei, esse livro me fez rir. Deuses, como ele me fez rir!! Comecei a ler ele na faculdade, e tenho certeza que quem passava por mim e me via rindo do nada me achava uma louca. Mas acho que a loucura faz parte desse mundo não é mesmo?😂😂😂😂
Bom, espero que vocês tenham gostado da resenha, e se deliciem com esse livro tanto quanto eu. Desejo todo sucesso à Bianca que eu descobri ser uma escritora maravilhosa!
Beijinhos e até a próxima,
                                                                                                                     -Fê.

Resenha: Muito mais que o acaso


Resultado de imagem para muito mais que o acaso
"Victor é um garoto comum. Estudante de escola pública, ele adora jogar futebol e sonha em proporcionar um futuro melhor para a mãe e para a irmã. Tudo o que ele precisava era de uma oportunidade para que os seus sonhos se tornassem realidade.
O empurrãozinho do destino chega quando Victor ganha uma bolsa de estudos no melhor colégio de São Paulo, graças ao seu talento no futebol.
Perdido em um ambiente completamente novo e muito distante da realidade de sua vida, ele encontra refúgio entre os novos amigos e nos olhos claros de uma garota chamada Sophia, capaz de fazê-lo se sentir parte daquele mundo.
Quando a dificuldade de conciliar estudo, trabalho e treinos de futebol começa a cobrar seu peso, as pessoas menos receptivas do que parecem e, para coroar, a mãe de Sophia decide dar um basta no relacionamento dos dois, Victor percebe que vai precisar de muita garra e perseverança para vencer o preconceito e a discriminação e provar que o valor de uma pessoa não é medido por sua origem, mas por suas ações."


Oooii, tudo bem com vocês??? Ai que saudade de escrever aqui!!!! <3 <3
Ando sempre atolada de coisas da faculdade, mas finalmente consegui um tempinho para ler e postar aqui uma resenha.
O livro de hoje é Muito mais que o Acaso do autor Athos Briones, que foi lançado na Bienal do Livro desse ano. É seu livro de estréia e olha, ele chegou arrasando!
Vamos acompanhar a história do Victor, um garoto de classe média que conseguiu estudar na melhor escola de São Paulo graças à uma bolsa de estudos conquistada por ser um craque do futebol.
A mudança não é fácil, já é ruim mudar de escola no meio do ano, ainda pior é ir para uma em que as pessoas são completamente diferentes de você, fazendo você se sentir mais ainda um peixe fora d'água. Ainda mais que o Victor era amigo de todos na sua antiga escola, sempre muito receptivo e caloroso.
Os dias seriam bem mais difíceis se ele não tivesse encontrado pessoas tão legais no meio de tanta gente esnobe. E gente, um dos pontos fortes nesse livro é a demonstração de amizade e carinho por todos na vida do Victor.
O grupo LeoMaVi (como é chamado o grupo composto pelo Victor, Leo e Matheus, criado no Whatsapp pelos meninos) me arrancou risadas em praticamente todas as conversas. Os meninos são muito divertidos e alto astral, e olha que eu achei que o Matheus ia ser um dos garotos metidos quando ele apareceu, mas me enganei feio.
Outro ponto forte, e acho que o principal da história, é o preconceito. A cada capítulo é uma lição nova que aprendemos não só com o preconceito sofrido pelo Victor, mas pelas pessoas ao seu redor também. E apesar dessa ser apenas uma história, é a realidade de muita gente por aí, já que infelizmente, o preconceito ainda é grande na nossa sociedade. Se tem uma coisa que me tira do sério, é preconceito!
Não consigo entender essa ideia de superioridade que algumas pessoas tem e que insistem em impor sobre as outras. Ninguém é melhor do que ninguém, todos temos o direito de sermos diferentes e não tem nada de errado em ser pobre, rico, negro, branco, gay, hétero, bi etc, etc.
O livro, apesar de tratar de um tema super importante, é leve e flui muito bem, tanto que terminei ele no mesmo dia em que comecei. A Sophia e o Victor são muito fofos juntos e as partidas de futebol são emocionantes!
Adorei encontrar referências de Arrow, Flash, Justin Bieber <3 Acho que essa coisas fazem eu me sentir mais próxima dos personagens, é muito legal saber que eles tem os mesmos gostos que você, e que vocês poderiam passar horas comentando sobre as séries que assistem.
Como eu disse no começo, Athos chegou arrasando na sua estréia e recomendo muito esse livro pela mensagem que ele traz. O mundo precisa de mais amor e respeito!
Desejo muito sucesso ao Athos e já estou aguardando o próximo livro, espero que ele não pare por aí!!
Beijinhos e até a próxima!
                                                                                                                              -Fê.

Bienal de São Paulo Com Jennifer Niven

Introdução


Oi gente!

Hoje estou aqui para falar sobre a bienal mais doce da minha vida. Quem foi na bienal de 2014 em São Paulo, sabe o quanto aquela edição foi traumática para muitos! Porém a organização do evento evoluiu com os erros e soube fazer com que a edição 2016 fosse mais agradável para o publico. 

Eu e minhas duas amigas que foram comigo na bienal passada, combinamos de ir no sábado dia 27 de agosto. Uma delas dormiu na minha casa e a outra que já mora em São Paulo foi direto. Vale fazer uma observação e dizer do quanto fiquei feliz de ir com elas, porque muitos falaram que amizade de ensino médio não dura, mas nós continuamos amigas e pudemos aproveitar esse evento para relembrarmos cada momento vivido. E principalmente, pudemos relembrar o verdadeiro sufoco que passamos juntas para conseguir ver a Cassandra Clare e Kiera Cass.

(2014 x 2016)

A feira do livro


Como esse ano algumas das distribuições das senhas foram onlines,  eu pude aproveitar mais da feira do livro em si. No sábado do dia 27, a bienal não estava tão cheia, então dava para sair dançando pelos corredores e comprar livros a vontade (embora eu tenha comprado poucos livros). Eu e minhas amigas andamos bastante, conversamos muito, ficamos jogadas no chão, andamos mais um pouco, visitamos mais estandes e passamos o dia juntas. 
Eu estava planejando encontrar três escritoras MUITO queridas para mim! Três fofas maravilhosas que ocupam uma grande parte do meu coração. Na verdade queria ver quatro escritoras, mas infelizmente tive que ir embora antes de eu encontrar a Ava Dellaira em uma sessão extra de autógrafos que teria no sábado de noite. 
Logo no começo da Bienal fui direto para o estande da editora autentica ver a escritora brasileira Babi Dewet. Ainda bem que minhas amigas estavam comigo, pois eu comecei a ficar bem nervosa para entrar na fila e dar um abraço nela. Imagina você conversar com a pessoa pela internet e de repente essa pessoa aparece na sua frente? Sim, eu quase explodi de alegria. Não vou falar muito sobre meu encontro com a Babi porque eu pretendo fazer um post falando sobre ela e seu novo livro que eu comprei: Sonata em Punk Rock. Mas vou deixar uma das fotos aqui que representa melhor esse momento.


No comecinho da noite, antes de ir embora, também vi a escritora brasileira Paula Pimenta, e consegui fechar meu dia com chave de ouro! A Paula continua uma fofura e foi uma simpatia comigo e com todos os outros. Quando eu for fazer resenha da nova HQ de FMF, contarei mais sobre a sessão de autógrafos com ela. 

Bate papo com a Jennifer Niven


Gente, agora vou compartilhar um momento extremamente especial para mim. Um momento que eu estava esperando há muito tempo e ainda nem acredito que realmente aconteceu. Finalmente conheci pessoalmente a escritora americana Jennifer Niven, que escreveu com maestria o inspirador livro Por lugares incríveis/All the bright places . Estou sem palavras para descrever o quanto AMO essa mulher e o quanto ela me faz bem!!!! Ela dá muito amor para os leitores e por isso é uma pessoa que merece receber todo o carinho do universo!
Quando deu o horário do bate papo, eu e minhas amigas fomos para a arena cultural esperar a Jennifer chegar. Eu NUNCA tremi TANTO na minha vida! 

Quando ela chegou no bate papo, meu amor por ela que já era MUITO grande, dobrou de tamanho. Eu não consegui tirar fotos do bate papo porque eu tive uma séria crise de nervosismo. Foi extraordinário ver que ela é tão amorosa pessoalmente como eu imaginava. Minha felicidade por vê-la não cabia dentro de mim. Eu já tinha falado com a Jennifer pelas redes sociais e sabia o quanto ela era incrível com os leitores, mas ainda assim consegui chorar litros com a doçura dela ao mostrar que cada um de nós eramos especiais , e isso foi muito importante para mim. A Jennifer é o tipo de pessoa que te ouve chorar e te consola, mesmo a distancia. Ela ama verdadeiramente cada leitor de qualquer lugar do mundo e não esconde esse amor de ninguém, muito pelo contrario, faz questão de mostra-lo para todos. Ela é um anjo de pessoa que faz seus leitores se sentirem amados e necessários. E por isso eu só tenho coisas boas para falar sobre ela. Ela já me ajudou e sempre será uma grande inspiração para mim. A Jennifer tem uma alma doce com um enorme e lindo coração, capaz de ajudar qualquer pessoa com suas amorosas palavras. Confesso que se a editora seguinte, que traduziu Por lugares incríveis, resolver lançar os outros livros escritos pela Jennifer, comprarei todos na mesma hora, não importa a temática, a escrita dela é muito profunda e só posso esperar coisas boas de suas outras obras.

No bate papo a Jennifer falou sobre temas como depressão, bipolaridade e dificuldades emocionais, temas abordados em seu livro e tidos como um grande tabu pelas pessoas (principalmente os adultos). Geralmente, sempre que eu participo de bate papos com escritores, eu não costumo perguntar nada. Mas dessa vez eu queria ser diferente e participar de todas as formas possíveis para tornar o meu encontro com a Jennifer o mais lovely. Quando foi aberto para perguntas, eu levantei minha mão e a moça me deu o microfone para eu ser a segunda a perguntar. Eu já tinha pensado o que eu queria falar, mas quando eu fiquei em pé e vi a Jennifer  naquele palco olhando para mim, COMECEI A CHORAR! GENTE, EU AMO ESSA MULHER E TER VISTO ELA OLHANDO PARA MIM FOI ALGO INEXPLICÁVEL E LITERALMENTE EXPLODI DE AMORES POR ELA! Na hora de falar, a pergunta não saia, porque me deu um grande ataque de agitação. Sério, tive uma crise nervosa tão grande que minhas mãos não conseguiam segurar o microfone porque estavam tremendo, e eu não conseguia falar NADA porque estava chorando! Eu realmente estava em lagrimas! Logo eu percebi que não estava em condições de falar e eu estava consumindo o tempo do bate papo, então desisti de fazer a pergunta e sentei, mas minhas amigas não deixaram eu desistir e peguei o microfone de volta. Finalmente eu consegui falar, embora a pergunta não tenha saído do jeito que eu tinha planejado, porque eu estava  nervosa demais para falar de um jeito bonitinho.

Minhas duas amigas gravaram eu falando, caso vocês queiram ver, é só clicar no video. Eu ia colocar  um video melhor deste momento, mas não consegui baixa-lo aqui no post, então vai esse mesmo.

A pergunta que eu iria fazer era assim: no livro Por lugares Incríveis/All the bright places os protagonistas visitam vários locais turísticos para um trabalho de escola, e antes de irem embora, eles levam souvenirs como lembranças desses lugares, mas eles também deixam para trás objetos seus para que o lugar também tenha lembranças deles. Com base nisso eu queria saber se a Jennifer pretendia deixar alguma coisa aqui no Brasil.

Como eu estava bem tensa, não consegui perguntar exatamente desse jeito, saí falando as primeiras palavras que vinham na minha mente, mas ao final da pergunta, as pessoas fizeram "awwn". Aí entra a melhor parte! A Jennifer, fofa como sempre, disse: "Amei essa pergunta". Depois ela olhou nos meus olhos e antes de responder disse: "Hi Ana!". Pausa pra falar que eu faleci nessa hora!!!!!!! QUE MULHER INCRÍVEL É ESSA???? Gente, imagina a escritora que você tem um carinho IMENSO TE CHAMAR PELO SEU NOME???!!!!! GENTE, ELA ME CHAMOU PELO MEU NOME!!!!!!!! ELA OLHOU NOS MEUS OLHOS!!! VOCÊS TEM IDEIA DO QUE É ISSO?????!!!! EU SIMPLESMENTE EXPLODI DE AMORES POR ELA!!!! A Jennifer não é só mais uma escritora que eu gosto, ela é um anjo de pessoa que me ouviu quando eu precisei falar com ela pelas redes sociais. Acho que nada do que eu escrever vai dizer o quanto foi importante para mim vê-la e ser vista por ela! Eu sempre guardarei esse dia no fundo do meu coração! E espero que ela volte em breve, pois eu já estou morrendo de saudades! 

Ao final do bate papo fui para a fila da sessão de autógrafos. Pude ver por algumas horas ela abraçando cada leitor, ela conversando com cada leitor, ela consolando cada leitor que foi vê-la! Muitas pessoas choravam em seu ombro e ela não afastou ninguém. Muito pelo contrario. A Jennifer realmente ficou ali firme e pronta para ouvir cada desabafo. Infelizmente, quando estava chegando a minha vez, a editora seguinte começou a apressar um pouco as pessoas porque estava acabando o tempo. Eles foram gentis e não foram grossos conosco, mas eu fui ficando triste ao perceber que bem na minha hora de abraçar a mulher que me inspira todo dia, eu teria que ser bem rápida por causa do tempo. Porém entendi completamente que a fila precisava andar mais rápido para todos serem atendidos.

Quando chegou minha vez, fui abraça-la e ela foi uma fofa! Perguntou como eu estava, perguntou se eu havia gostado do seu livro, mas eu não consegui falar nada. Vê-la sorrir para mim foi a melhor parte do meu dia. Gente, a Jennifer merece todo o amor do mundo. Ela dá muito amor para os leitores e comigo não foi diferente. Ela foi conversando comigo enquanto assinava meu livro e me agradeceu por estar ali. Eu me senti querida para ela nos poucos segundos que a abracei. O abraço da Jennifer é um dos abraços mais aconchegantes que eu já recebi. Queria ter dito tantas coisas para esse doce de pessoa, só que infelizmente não disse nada. Entreguei meu presente para ela, que foi uma almofada personalizada com uma foto que estava escrita: "You make me Lovely" (quem já leu Por lugares Incríveis vai entender a referencia da frase). E também fiz uma toalhinha vermelha com uma pequena homenagem pessoal para ela. Ela pareceu surpresa com o presente e gradeceu mais uma vez. Tiramos a foto e saí dali. Na mesma hora que saí, um forte vazio e uma profunda tristeza cresceram dentro de mim. Nunca, eu repito, nunca senti uma saudade tão grande logo depois de sair de uma sessão de autógrafos. Meu coração doeu por querer ter dado pelo menos um ultimo abraço nela, ter pelo menos mais uma chance de falar o quanto ela era importante e especial para mim. Eu queria ter expressado todo o meu amor por ela, mas por causa da minha timidez, não consegui. Fiquei me detestando e me odiando por uns dias por causa disso, o nervosismo me atrapalhou de viver plenamente aquele lindo momento, mas estou confiante que essa não será a ultima vez que a verei. Tenho esperança que um dia a reencontrarei, que poderei dar todos os braços que não dei dessa vez e que esse ano foi só o primeiro de outros anos que a verei pessoalmente.

Felizmente até lá meu coração será cheio das boas lembranças desse dia maravilhoso com essa escritora maravilhosa! A Jennifer será sempre um lugar brilhante para mim, assim como ela disse pelo twitter que eu sou um lugar brilhante para ela.



(Foto postada pela Jennifer mostrando os presentes)
PS: olha a almofada que eu dei ali!!!!!


Sempre estarei aguardando o dia em que esse anjo voltará para o Brasil. E espero poder finalmente demonstrar o quanto ela é amada e necessária para mim.

Espero que tenham gostado do post pessoal! 

Beijinhos!

-Tink












4º temporada de Bates Motel


Olá meu povo, tudo bem?? Já estão de férias? Eu não vejo a hora das minhas chegarem. Passar o dia todo assistindo série.... Ai que sonho!!!!
E é sobre série que eu vim falar com vocês hoje, mas especificamente sobre a quarta temporada de Bates Motel.
Sei que já acabou há algumas semanas, mas só consegui assistir agora, pois estava em semana de prova :(
Pois bem, vamos começar!
A terceira temporada terminou maravilhosamente bem, deixando um baita gostinho de quero mais, e desde que o trailer da quarta temporada foi lançado, eu estava animadíssima para assistir, pois só pelas cenas que foram mostradas já dava para ter uma ideia que o negócio ia pegar fogo!! E meus amores, que incêndio!!!!
Nessa temporada a série realmente mostrou para o que veio e atingiu seu auge, já que nas temporadas anteriores eu achava ela meio morna na maior parte do tempo, eram poucos os momentos em que algo realmente emocionante acontecia, mas isso é totalmente justificável já que as crises do Norman ainda estavam no início e não eram tão recorrentes.
Já na quarta temporada o quadro dele piora consideravelmente, o que deixa as coisas bem agitadas e emocionantes. É uma crise atrás da outra, e gente, não sei quem é mais maravilhoso nesses momentos, se é a Norma ou o Norman, sério! As cenas dos dois são sempre um espetáculo a parte!!
Há cenas espetaculares também em que os dois não estão juntos, mas eu não sei, é diferente de quando eles estão atuando juntos.
Eu só conseguia ficar maravilhada e pensar "Isso, façam mais cenas assim por favor. Eu preciso de mais cenas assim."
Esses dois são outro nível, simplesmente! <3
Tudo bem que a Norma me irrita um pouco às vezes. Ela fica completamente cega quando se trata do filho e não vê coisas que estão bem debaixo do seu nariz. Quer dizer, ela até vê, mas se recusa a enxergar. Teve muitos momentos durante todas as temporadas em que eu achei que ela deveria ter sido mais firme com ele, mas enfim, é complicado julgar.
Mudando um pouco o foco, preciso falar das cenas amorzinho. Sem comentários para Emma e Dylan e Norma e Alex. Esses dois casais são muito amor e não tem como não shippar. Muuuuuitos corações para eles <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3
Na verdade, eu também shippo muito o Dylan comigo, mas no momento ele é da Emma, então deixa quieto kkkkkk.
Minhas expectativas para a quinta e última (infelizmente) temporada estão altíssimas, ainda mais porque aconteceram coisas que eu pensei que aconteceriam mais para o final da série, então estou curiosa para saber como tudo vai se desenrolar a partir de agora. Acredito que vá manter o mesmo nível da quarta temporada, ou até aumentar. Bem, assim espero kkkkk.
Se você ainda não assistiu essa série, eu super recomendo, e se você desistiu no meio porque achou ela meio morna, tente voltar a assistir, porque as coisas melhoram, sério!

Beijinhos e até a próxima!
                                                                                                                     -Fê.